Porque são os probióticos tão bons para a saúde?

O probiótico, palavra originária do latim e grego, significa “pró-vida”, ou seja, para a vida, tem tido variadas definições desde a sua descoberta.

 

VANTAGENS NA SUA TOMA

Os probióticos são cada vez mais aceites pelos profissionais de saúde, pois, tem comprovado a sua eficácia no

  • controlo de infecções gastro-intestinais nomeadamente na supressão de infecções causadas pela bactéria Helicobacter pylori; 
  • no estímulo da motilidade intestinal;
  • na melhoria da absorção de determinados nutrientes e da intolerância à lactose; 
  • na diminuição de recidivas de infeções vaginais; 
  • na diminuição dos níveis de colesterol; 
  • têm efeito anticarcinogénico e
  • estimulam o sistema imunológico.

 

DE ONDE PROVÊM?

As culturas de probióticos são originárias do intestino humano e animal, sendo as mais usadas os géneros Lactobacillus e Bifidobacterium. Nos suplementos alimentares as mais usadas são as espécies Lactobacillus acidophilus, Lactobacillus rhamnosus e Lactobacillus casei.

Na natureza os probióticos encontram-se em produtos fermentados, como o iogurte, kefir, tempeh, miso, chucrute e pickles (fermentados), e são consumidos há muitos anos por vários povos. O ideal seria que a sua ingestão fosse através destes alimentos, no entanto sabemos que nem todas as pessoas os ingerem da mesma forma ou com tanta frequência quanto o necessário.

A ingestão de probióticos também pode ser feita através de iogurtes e bebidas lácteas, como sejam produtos com o propósito de regularizar o trânsito intestinal ou outros com o objectivo de fortalecer as defesas imunitárias do organismo, actuando na flora intestinal.

 

AS APRESENTAÇÕES FARMACÊUTICAS QUE ENCONTRA NO MERCADO

Os suplementos probióticos, como são preparados em ambiente controlado, têm a vantagem de ser estandardizados, o que assegura a sua qualidade e dosagem específica. Trata-se ainda de uma forma de consumo mais rápida e mais fácil para o consumidor final. O encapsulamento de bactérias benéficas vivas tem ainda a vantagem de os produtos serem mais estáveis, geralmente não necessitando de ser mantidos no frigorífico, e ainda de garantir que sobrevivam ao ambiente ácido do estômago, conseguindo atingir o intestino delgado com viabilidade. Sabe-se ainda que um probiótico de multiestirpes pode ser mais vantajoso, pois tem mais benefícios e consegue actuar em mais áreas do trato gastro-intestinal, além de se ser benéfico para uma maior gama de desordens digestivas.

Os produtos à base de probióticos encontram-se sob várias formas, desde em pó, cápsulas, comprimidos e suplementos dietéticos/alimentares. As formas farmacêuticas contendo probióticos devem assegurar a resistência destes microrganismos às condições fisiológicas adversas garantindo a sua viabilidade e eficácia.

 

Não esquecer dos prebióticos Prebióticos são substâncias não digeríveis que estimulam o crescimento e/ou actividade potencial dos probióticos. Normalmente são compostos produzidos pelas plantas, como a inulina e frutoligossacáridos, e também são considerados fibras. Embora não sejam digeridos, os prebióticos ajudam a manter a flora intestinal benéfica activa, a melhorar processos digestivos e a equilibrar a assimilação de nutrientes. Destacam-se aqui as frutas e verduras, razão pela qual nunca deverá ser descurada uma alimentação variada e equilibrada.